Totalmente Demais

Uma novela de: Rosane Svartman e Paulo Halm
Direção-geral: Luiz Henrique Rios
Exibição: 09/05/2015 – 30/05/2016

Indicada ao prêmio Emmy Internacional de melhor novela em 2017, “Totalmente Demais” trouxe um conto de fadas moderno para o horário das sete com a história de Eliza, interpretada por Marina Ruy Barbosa, uma garota pobre do interior que foge de casa com medo do padrasto e, quando passa a vender flores na rua, na capital do Rio de Janeiro, sua beleza chama atenção do agente Arthur (Fábio Assunção), que a inscreve em um concurso para revelar uma nova Top Model brasileira.

Pesquisamos redações de revistas, eventos de moda para criar a redação da Totalmente Demais, em que cada diretora tinha uma personalidade. Mas também haviam vários elementos comuns na sala de todas elas, como os rascunhos das publicações, fotos e artes que saíram na publicação, uma vez que elas exerciam a mesma função. Além disso, produzi a primeira capa da revista, com foto do ensaio realizado na Austrália, no início da trama, e fiz o design de todas as outras edições. A cada mês fictício da novela uma nova capa da publicação ia sendo apresentada na parede da redação.

Nosso maior desafio foi transformar o cinema abandonado onde morava Jonatas, personagem de Felipe Simas, em um lugar lúdico. Para isso buscamos referências de um palácio, como os antigos cineteatros e trouxemos cartazes de longas-metragens rodados até os anos 80.

Inspirada em antigos concursos de misses nós montamos cenários lúdicos com objetos especiais para cada uma das etapas da competição, que foi um sucesso. Buscamos sempre uma unidade na conceituação de cada momento, para manter o tom solar da novela. A referência inicial foram aqueles ensaios mirabolantes realities super disputados com modelos não-profissionais, para testar os dotes não só fotográficos, mas também de comportamento, atuação e moda das concorrentes.

A prova mais gostosa de fazer foi a "Gentileza gera gentileza", gravada nas ruas da Cinelândia, no Centro do Rio. Um ensaio que resgatou o início da novela, quando Eliza vendia rosas nas ruas para conseguir algum dinheiro. Caprichamos nas flores, que vieram muito mais sofisticadas do que as rosas reaproveitadas que Eliza vendia nos primeiros capítulos.

Os temas circo e terror possibilitaram à equipe de arte explorar a ludicidade nos cenários e elementos cênicos. Com a proposta circence a inspiração foram os circos pintados de Toulosse-Lautrec e nos filmes “La Strada”, de Fellini, e “The Circus”, do Chaplin. Nos divertimos com os objetos circenses, como o chapéu cheio de mágicas, o chicote da domadora de leões, o guarda-chuva da equilibrista... Tudo com o fundo da linda lona antiga produzida pela cenografia. E, para o terror, nos inspiramos no terror pop atual, bem cheio de vampiros e cemitérios.

VOLTAR
TOPO

© 2020 Didi Maakaroun.

Criado por Umi Design.

Redação Revista Totalmente D+

Visão geral